Follow by Email

domingo, 22 de julho de 2012

um suspense ruim, um corvo mediano e os três mosqueteiros

tem dias que acordo crítica de moda, outros de música ou de livros. hoje, de cinema. vamos falar de filmes? alguns ainda estão em cartaz, outros não. mas vamos lá: (ATENÇÃO, SPOILERS)


vi quarta-feira. ATM. aqui ganhou o título de "armadilha". atm acho que é o nome dos bancos 24 horas nos estados unidos... li qualquer coisa sobre o filme ser uma vingança contra engravatados de bancos e bolsas de valores...acho que até pode ser, mas gente, é um filme de suspense, e tenho a certeza que não tem a pretensão de ser mais do que isso. em resumo são três colegas de trabalho que param num banco 24 horas e ficam presos porque tem um maluco lá fora que matou um cara na frente deles e quer matar todo mundo. o roteiro é do chris sparling que fez o "enterrado vivo" (lembram? aquele com o ryan reynolds que ele fica enterrado e passa o filme todo tentando sair do caixão?sensacional). poizé, parece que o roteirista gosta dessa coisa de claustrofobia, né? e até tem mesmo essa sensação claustrofóbica no filme. não é mole você ficar numa noite fria pra caralho dentro de um 24 horas com um louco lá fora. eu juro que comecei a ver o filme e não acreditei ser possível duas horas ficar só naquilo. mas até que deu. claro que os mocinhos do filme fazem uma merda atrás da outra. quem em sã consciência pára (não consigo tirar o acento do parar, foda-se a nova regra) aquela hora da madrugada num 24 horas deserto, e a uma distância inacreditável (alguém tem que me explicar porque eles foram justamente pra lá e porque estacionaram o carro tão longe da porra do banco). quem não tem celular o tempo todo ligado e o tempo todo na mão? quem sai do carro com a chave mas deixa o carro aberto? o começo, no escritório e na festinha, pra mostrar como os colegas são idiotas, poderia ser menor, ficou desnecessário. o cara que faz o corey (o josh peck) é um idiota nada crível (não existe gente como ele, acho que erraram a mão). uma curiosidade, o tal josh peck é bem conhecido no brasil. ele fez uma série teen de comédia, josh e drake, passava na extinta tv globinho e acho que ainda passa nos canais fechados. ele era gordinho, agora não é mais. enfim, personagens fraquíssimos (ah, a moça emily, é a alice eve, vou falar dela novamente quando comentar o corvo) e inverossímeis. as armadilhas até que são bem interessantes, a da água é legal (a mais legal), e sinceramente, eu não entendi o fim. como assim não entendeu o fim de um filme de serial killer? poizé. não vou contar porque é sacanagem contar fim de filme, mas juro que não sei qual a intenção do assassino. era testar câmeras? era fazer parecer que o povo dentro do 24 horas era maluco? era mesmo vingança contra o sistema capitalista? enfim. se for pra ver sem compromisso nenhum, vale. mas baixando da internet, se for pagar ingresso, fuja. não tem susto, não tem tanto suspense assim e não tem novidade. algumas poucas cenas de nervosismo (sim, tem hora que dá pra gritar um: corre, corre filho da puta). e só.   



vi sábado. aqui no brasil "the crow" e "the raven" ganharam a mesma tradução: o corvo. o primeiro é um filme de 1994, com o brandon lee (aquele em que ele morreu nas filmagens). o segundo, é o último do john cusack, em que ele interpreta edgar allan poe. e ai pára tudo porque tenho que explicar que eu amo o poe. depois do fernando pessoa, é ele o meu mais querido. claro, seguido de stephen king e centenas de outros preferidos. mas, falemos de poe. quando eu cursava literatura na unb (sim, fiz faculdade disso), fiz um trabalho exatamente sobre ele. eu comi as histórias dele, os poemas e durante muuuuuuito tempo pude jurar que eramos almas gêmeas. nem preciso dizer que fiquei muito feliz com a escolha do cusack pra interpretar o poeta americano. cusack é um ator que eu gosto muito (fez filmes ótimos como o "1408", baseado num conto do meu querido stephen king e o melhor dele, aquele em que ele é dono de uma loja de discos,  "alta fidelidade"), mas não sei. eu achei ele tão falastrão no papel do edgar. não sei se eu imaginava um poe tão sherlock holmes. eu achei ele meio exagerado, sabe? tudo bem que o poeta tinha fama de beberrão, mas dai a ser quase selvagem, hum, também sei não hein? mas enfim, passado o susto de ver na tela um ídolo, segue a história. o nome do filme é baseado no famoso poema de poe "the raven" (quem não leu, que o faça...em resumo raso é a triste história de um homem em depressão, que perdeu a amada, fica chorando pelos cantos  e recebe a visita de um corvo). no filme o tal corvo, ou corvos funcionam como um estado de espírito de poe. e ficam aparecendo em algumas cenas. principalmente quando ele está triste. na vida real ninguém sabe ao certo a causa da morte de poe. o filme então fantasia sobre os cinco últimos dias de vida do escritor. ele é apaixonado por uma linda alice eve ( a mesma do ATM acima) e acaba envolvido na caça a um serial killer que usa os poemas e histórias dele como inspiração para a matança. ele corre contra o tempo porque o tal assassino sequestra a noiva dele e ela pode morrer se ele demorar a descobrir o paradeiro dela. pra quem está familiarizado com a literatura de poe pode até achar meio sem graça já prever os próximos passos. quem não está até vai gostar. mas de qualquer forma vale ver o filme. é sempre bom relembrar alguns contos. a atmosfera sombria, as citações, até mesmo o misteriozinho sobre o assassino (ou o que motiva o assassino) são legais. mas o fim é beeeeem previsivel. uma curiosidade: o diretor do filme é o mesmo james mcteigue do filme "v de vingança". e o detetive fields, é luke evans de "imortais" e dos "três mosqueteiros". 


 e  falando em os "três mosqueteiros", vi sexta, com atraso, eu sei.  acho que é o filme mais refilmado da história cinematográfica, não? (tem versão com charlie sheen, kiefer sutherland e cris o´donnel, tem versão com leonardo dicarpio, em "o homem da máscara de ferro", com jeremy irons, john malkovich e gerard depardieu, acho que tem filme sobre eles desde que inventaram o cinematógrafo). enfim, versão não falta. é uma história conhecidíssima de alexandre dumas (um francês que escreveu também o conde de monte cristo, que também já virou um filme maravilhoso). foi escrito em 1844. e mesmo a gente sabendo a história e o fim eu ainda fiquei torcendo pra dar tudo certo- hahahaha.  numa pequisa rápida encontrei isto: "ao todo, são 22 longas-metragens e 7 animações, além de séries de curtas que eram populares nos anos 30 e 40. a primeira investida de os três mosqueteiros no cinema foi em 1903 em uma produção francesa desconhecida. foi em 1948, porém, que a obra teve seu primeiro destaque na telona na adaptação da mgm,  dirigido por george sidney e com gene kelly, van heflin e vincent price". como eu disse a história é mega conhecida, ainda mais pra quem é da minha geração e via isto aqui ó:


quem não lembra da musiquinha? poizé. sobre a nova versão de 2011, teve o dessabor de ser dirigida por paul w.s. anderson. é o mesmo do "resident evil" , "mortal kombat", "aliens x predador", "pandorum", ou seja, é ficção científica? é joguinho? é com ele mesmo. já três mosqueteiros...e quer saber? levar a milla jovovich pra fazer a milady foi um tiro no pé. ela é linda, mas fez nada mais do que faz nos filmes do "resident evil", até comentei durante o filme: essa mulher deve saber lutar de verdade, né? porque faz sempre as mesmas coisas...depois é que vi que o diretor, inclusive, é o mesmo. e acho que ele quis dar aquele ritmo frenético dos filmes anteriores e colocou todo mundo pra lutar de forma espetacular...chegou uma hora que ficou difícil de acreditar...o ser humano não tem aquela desenvoltura toda...e colocar o leonardo da vinci pra fazer as mais elaboradas armadilhas também não colou muito (aliás, pensando bem, aquela cena do corredor que a milady atravessa correndo pra escapar das balas que saem das paredes não ficou igualzinha ao do corredor do resident evil quando o cara é picotado? não sei não, hein? pegou mal, né? e outra, tem hora que o d´artagnan tá lutando com o exército e ficou igualzinho o neo lutando contra os agentes smiths do matrix, aliás, matrix bombou nesta versão, só deu slow-motion by matrix...e a milady descendo o prédio a là missão impossível? hum...uma mistura de senhora smith e tom cruise, numa roupinha fake.) o bom do filme é o elenco (o resto do elenco). o matthew macfadyen que faz um triste e beberrão athos merece o destaque. eu sou fã dele. tem um livro que se chama "orgulho e preconceito", da jane austin, que foi filmado já 4 vezes. e adivinha quem fez o sr. darcy na última versão? ele. lindo, narigudo e com uma voz...além de já ter feito parte do elenco do meu livro/filme preferido "o morro dos ventos uivantes", na versão de 1998. ai não tem tem pra ninguém, né? outros atores que merecem destaque: o d´artagnan é logan lerman, sim o conhecido percy da versão cinematografica de "percy jackson e o ladrão de raios". tá bonitinho e convincente. porthus é interpretado pelo ray stevenson, sou fã dele desde a série "roma", lembram? ai ele já fez "thor", "o livro de eli" e mais um monte de outros. figura que conquista fácil. e o aramis é interpretado pelo luke evans, sim, o mesmo detetive field lá do corvo (que aliás fez também "robin hood" e "fúria de titãs").   o orlando bloom que fez mais um filme de época (precisa de apresentação? o mesmo do "piratas do caribe", tróia, e" senhor dos anéis") e fez um duke de buckinghan engraçado e canastrão. tava bem. o maravilhoso christoph waltz faz o vilão cardial richelieu (ele é o mesmo dos "bastardos inglórios", um filme que vai ganhar post exclusivo porque eu amei muito). e a milla jovovich, já citada, que fez o mesmo papel de sempre. desnecessária. ah o mads mikkelsen, que fez o rochefort tava ótimo também. ele já é conhecido também por "fúria de titãs" , "rei arthur" e "007 - cassino royale" (aliás, será que ele tem problema de verdade no olho? mais uma vez estava de tapa-olho...). engraçado como os atores, diretores e roteiristas sempre andam mais ou menos juntos, né? um leva o outro, sei lá...além dos atores se encontrarem em vários filmes em comum, a curiosidade do roteiro por exemplo é que um dos roteiristas que assina o filme é andrew davies, que já trabalhou com o matthew macfadyen em 18 filmes (entre eles o próprio "orgulho e preconceito" que citei acima e "robin hood", sim o mathew também trabalhou nele interpretando o xerife de nottingham). enfim, destacado o elenco vale dizer que é uma diversão para a família, longe de ser um filme sensivel e com as nuances da obra de dumas. é uma ação, com muita luta, umas fantasias modernosas (como um navio que voa) e uns retoques de licença poética. vale. mas é bem pipoca e refrigerante.

estou com mais alguns filmes na mira, mas hoje só vou comentar os filmes da última semana. quem sabe amanhã falo mais, hein? quero fazer um post só com filmes necessários, clássicos e dicas de alguns melhores. mas são filmes mais antigos, estou preparando. tô indo ali ver mais alguma obra cinematográfica, se for o caso, conto depois. beijo.


  








 

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir