Follow by Email

quinta-feira, 21 de março de 2013

A PIOR DOR DO MUNDO


abriu os olhos na estrada deserta e viu o sol dando espaço às nuvens de chumbo. o carro de cabeça pra baixo parecia pedir colo ao horizonte. o sangue se espalhando pelo asfalto. ela não se lembra de nada, nem da música que há pouco  incomodava, nem do cigarro que  lhe queimara os dedos, nem das lágrimas insistentes. quisera sumir o mais rápido possível daquele ódio que lhe consumia as entranhas. depois da discussão, acelerou o carro sem olhar para trás. fez a curva no primeiro atalho que encontrou. a velocidade e a tristeza pegaram carona. agora, estirada no chão procura forças. se arrasta até o acostamento sentido todas as dores do mundo. menos a perna direita. essa ela não sente. porque não está ali. começa a engasgar com sangue e para de pensar. – eu te amo, grita em sussurro pra ninguém ouvir. silêncio. essa é a pior dor. a certeza de nunca mais ver seu amor. entre as lágrimas, vai-se com o vento.

4 comentários: