Follow by Email

sexta-feira, 23 de março de 2012

putas, internet e prisão

brasília tem essa coisa de não ter esquina, não ter rua com nome de "general não sei das quantas", "avenida professor whatever", mas as quadras acabaram ganhando apelidos: rua das elétricas, rua das farmácias, rua dos restaurantes, rua das putas. e é justamente na chamada rua das putas que eu moro. e adoro meu cafofo neste ambiente. putas? não, rua das prostitutas. acredito que puta tem um significado muito mais amplo.

prostituição é profissão. não, não tô defendendo prostituição (não é esse o assunto, ainda), apenas concluindo que puta é uma coisa e prostituta é outra. tudo é uma questão de atitude.

vejamos. puta se diverte, puta gosta. e tem puta por ai que não cobra nada.

tem puta que é pirigueti e pirigueti que é puta. 

prostituta não, as prostitutas cobram, fazem o serviço e estão ali profissionalmente, sem espaço para distrações.

será que deu pra entender a diferença? enfim, pode virar debate, mas a intenção aqui é dizer que gosto muito de morar na rua das putas. sempre tem uma blitz, uma viaturazinha (deixa a quadra segura,né?) e as moças acabam descontraindo o ambiente e esfregam na cara dos hipócritas que o mundo não é só uma farsa colorida.

essa divagação toda sobre puta é só porque estou bem feliz com a prisão de dois camaradas que devem ser cornos, de pau pequeno, gays enrustidos e que sim, são gordos, feios, mal amados e loucos (sem ofender os loucos, desculpem). dois seres "umanos" que defendem a violência contra a mulher e consideram toda mulher puta. puta, quero dizer, prostituta , é a mãe deles. FILHOS DA PROSTITUTA! defendem morte pra homossexual, são racistas e ainda planejavam um massacre contra alunos da unb. fiquei bem feliz com a prisão deles e tomara que mofem na cadeia por longos 50 anos (pena máxima que podem pegar pelos crimes de racismo, incitação a discriminação e violência e divulgação de fotos pornográficas infantis). 

em um dos posts da internet, que infelizmente tive que ler por conta de uma reportagem que editei, os camaradas "ensinavam" a estuprar mulher, a estuprar "novinhas" e coisas tão nojentas que não vale a pena reproduzir. mensagem que espalhavam por essa nossa internet sem medo de nada. juravam que não iam ser presos. dançaram. e no dia em que a internet "perde" dois dos piores frequentadores virtuais, ganha-se o dia com música, para nossa alegria, a sueli cantou!

é assim a vida. agora já vou. escrevi demais. vou ali tomar meu campari com duas pedras de gelo. sem limão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário