Follow by Email

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

procura-se supermercado politicamente incorreto

procura-se supermercado politicamente INCORRETO. isso mesmo. que tenha sacola de plástico, empacotador pra ajudar, onde os preços venham grudados no produto. sim, porque vou te contar. ir ao supermercado não tá fácil não. é aquilo, pra achar vaga no estacionamento ou você paga - pra um shopping -  ou para no sol. no estacionamento coberto das 400 vagas existentes, 370 são reservadas, ou para idosos, ou para deficientes, para estudantes, para loiras, para pinguins, para carrinhos usados,  TODOS tem uma cota reservada. menos eu. depois de conseguir parar em algum lugar (naquelas mini vagas né? ainda bem que meu carro é minúsculo) vem a luta com os carrinhos. ou são velhos e as malditas rodinhas sempre empacam ou são novos mas as malditas rodinhas também empacam. antes eram dois tipos: um grande com cestinha pra carregar a bolsa ou pequeno pra levar na mão. agora tem grande, médio, pequeno, de dois andares, um andar, pra levar na mão, pra puxar, pra empurrar. mas todos com a rodinha que empaca. sempre pego os com cestinhas. outro dia tava num desses malditos ambientes quando a funcionária da limpeza me disse assim: cuidado dona, não descuida da bolsa ai na cestinha não, que aqui ninguém dá mole. a FUNCIONÁRIA me disse isso. pense. dai você consegue pegar o seu carrinho e vai à luta. sempre tem uma tia velha que não tem ambiente em casa e vai passear nos corredores do mercado. sempre. ou então aquele bando de desocupado que fica em frente aos produtos pensando por meia hora o que vai querer. as pessoas são meio sem noção, né? e não ficam só paradas não. deixam o carrinho no MEIO do corredor. não basta ser pobre tem que fazer pesquisa de preço. e parar a porra do carrinho no meio, não pode ser ali do lado não? antigamente todo supermercado era igual. as gôndolas seguiam uma lógica, tipo: refrigerante, suco, água, leite, tudo mais ou menos junto, depois produtos de limpeza, higiene e assim ia. agora é um deus nos acuda. algum gênio do marketing acredita que a gente quer sentir cheiro de peixe na hora de comprar pão. ou sair com a mão suja de sabão e em seguida pegar um queijo. oi? dá pra facilitar não? e as músicas de supermercado? pelamordedeus minha gente. aquilo lá é pro cliente gastar mais, aproveitar a música e se divertir comprando. cliente feliz compra mais. mas quem em sã consciência consegue fazer compra ouvindo aquilo que eles jogam no ouvido da gente? e naquela altura? não tenho nada contra música eletrônica, mas na hora de escolher cebola e batata não, né? quando não é sertanejão, sambão. certa vez fui a um que inovou com um cara tocando violão. MPB. tipo banquinho e violão. zzzzz bastante estimulante , né? afff. ai vem o recado da oferta. o cara contratado pra falar no microfone é sempre parente das aeromoças que dão recado no aeroporto, né? nunca dá pra entender o que eles falam. e achando que o microfone não é suficiente há os que gritam. OFERTA NA ENTRADA DA LOJA, OS PRIMEIROS DOIS CLIENTES QUE CHEGAREM...e pior que tem cliente que sai mesmo correndo. uma vez briguei com a porra do cara na fila do camarão. caralho, eu já tava lá esperando. ai vem aquele moço de microfone na mão dizendo que baixou o preço, ai não basta ser pobre tem que aproveitar as ofertas, inundou de gente pra levar o tal camarão e neguinho ainda queria furar fila. ah mas não fura mesmo. sai pra lá. se tem uma coisa que não deixo é folgado furar fila. vai se fuder. e agora que eles inventaram de distribuir os produtos em vários locais do super?  tipo esponja pra lavar panela você encontra ao lado do produto de limpeza, ao lado da panela, entre outras esponjas e se duvidar ainda ao lado do macarrão. fora que anunciam promoção e tem produto mais barato que na promoção. tem que ficar muito de olho. a pegadinha nova é colocar o preço longe do produto, ai você olha o vinho tal tá R$25,00, epa, legal, vou levar. ai passa no caixa R$56,00. quê? ah é que esse aqui é o reserva, o de R$25,00 era o do rótulo escuro. então porque catzo estavam todos juntos? não consigo ler as letras pequenas porra. outro dia também tava lá: leve qualquer produto dessa seção e ganhe um, sei lá, porta sabonete. na hora de pegar o brinde, a mesma coisa: ah não vale pra este produto não, só para os que estão 45 graus à esquerda do cartaz. então tira o cartaz de lá. cliente tá sendo feito de bobo. queijo ralado. tava baratíssimo. peguei logo 5 pacotes. na hora de passar no caixa, apenas dois com preço menor. ah é que o desconto vale para os pacotes com 110gr, esses outros são de 115gr!!! vai se fuder². depois da via sacra nas gôndolas ainda há de se enfretar a fila pra pagar . ai tem caixa rápido  para  somente10 produtos, mas sempre tem um filho da puta que quer se dar bem e entra com o carrinho cheio na fila. e a moça do caixa passa. deveria ter um dispositivo nesses caixas pra só registrar 10 produtos. passou disso tem que ir em outro. vai se fuder³. neguinho sem noção, né? ai tem o caixa preferencial. acho justo. só que tem idoso mala que vai só pra ficar na fila pra filha. não compra nada. já vi uns que ficam numa fila e a filha vai para a outra ai quem chegar primeiro chama o outro. aliás brasileiro adora dar uma de esxxxxxperto, né? espalha a família toda nas filas, quem chegar primeiro chama todo mundo. vou começar a alugar meu pai. quer esperar pouco? leva ele junto pra ficar lá, esperando na fila de idoso. cobrando baratinho, quem sabe? hum? outra modalidade de caixa agora é para quem quer reciclar. acho digno fazer reciclagem. os supermercados oferecem caixas de papelão, mas as caixas estão sempre sujas ou caindo aos pedaços. isso quando oferecem. ai você, como eu, não quer caixa, quer a velha e boa sacolinha. os funcionários vão te dando aos poucos as sacolinhas, já notou? vem cá, eles pagam por sacolinha oferecida? porra. fora que as sacolas agora são feitas de algum material qualquer que se você colocar duas latas de milho corre o risco de rasgar a merda toda. saudade de um tempo politicamente incorreto em que as sacolas eram firmes e fartas. eu só acho engraçado que dar a sacola o supermercado não quer dar, não pode dar, mas vender pode. virou um baita comércio de sacola e nessa tem muita gente lucrando e os idiotas achando que estão ajudando o planeta. o que ajuda o planeta é dar bom uso para as sacolas de supermercado. é não derrubar árvore, é cuidar dos animais, das plantas. usar sacola plástica não vai acabar com o planeta. o papelão é muito pior, só o que se gasta de água e papel (que vem das árvores), é muito mais prejudicial ao planeta. sacolas retornáveis são legais, desde que sejam de pano, pra ai sim ajudar o meio ambiente. aquelas que eles tentam te enfiar goela abaixo não valem nada. ás vezes eu sinto vontade de dar minha mão direita só pra ter um daqueles meninos que ajudavam a gente a embalar as compras. lembram? eles eram rapazotes, usavam uniforme do supermercado e se não me falha a memória perguntavam: a senhora quer ajuda? e colocavam tudo dentro da sacolinha pra você . ainda ajudavam a empurrar o carrinho. ah que saudade...certa vez um desses meninos me ajudou e fui dar uma gorjetinha pra ele. ele recusou, disse que o supermercado pagava o salário dele e entre as funções estava me ajudar. SIM, EU ESTAVA ACORDADA E NO BRASIL. mas sou velha, né gente? isso foi lá no período jurássico mais ou menos quando nos supermercados o cliente sempre tinha razão e recebia um sorriso quando chegava. velhos e bons tempos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário