Follow by Email

quarta-feira, 2 de maio de 2012

a mulher de preto e willow waly

quer mesmo ver um filme de fantasma? mas daqueles bom mesmo? no melhor estilo algernon blackwood? com uma pitadinha de edgar allan poe e jane austen? recomendo então "a mulher de preto"... atenção, spoilers...a saber: "the woman in black" é um livro escrito em 1983, por susan hill. ganhou uma versão pra televisão inglesa em 1989...e agora uma nova versão pro cinema...a refilmagem tem no elenco o eterno harry potter...é daniel radcliffe que dá vida ao protagonista: um advogado , viúvo, que vai pro interior da inglaterra pra cuidar da documentação de um cliente que morreu...e esse  interior é absolutamente fabuloso...pra quem gosta do gênero, claro...aaaah, a paisagem inacreditável do filme!!!  traz todos os elementos góticos e assombrosos que moram no meu imaginário...a mansão onde se passa a maior parte da trama é mais linda que a rose red, mais ainda que a mansão do filme "os outros"....aliás, lembra alguma coisa de guillermo del toro e suas casas maravilhosamente mal assombradas...e aqueles malditos brinquedos bizarros que tocam músicas mais bizarras ainda? estão lá pra te deixar louco! ....sobre o elenco, uma curiosidade: em 1989 o advogado era arthur kidd, interpretado por adrian rawlins...que vem a ser o pai do harry potter nos filmes em que radcliffe encarna o bruxinho...tantos anos mais tarde, radcliffe substitui adrian no mesmo papel, só que agora com o nome de arthur kipps...coisa de pai pra filho, né?...vale ressaltar toda a ambientação do filme, a casa vitoriana ...as árvores retorcidas, tudo meio abandonado,  raízes de árvores sobem pelas paredes...aparece até um corvo pra deixar a coisa bem legal. as cores desbotadas mostrando um glamour há muito ultrapassado...a música também merece nota....claro que tem a música de filme de terror que meio que anuncia o susto...mas tem muito de silêncio, e planos-sequência que são preenchidos apenas com gritos e sussurros...tem um quê de lentidão, mas que serve principalmente pra te deixar mais nervoso ainda...tive uma sensação de ir sufocando junto com os personagens, conforme o mistério ia crescendo...e gritei mesmo, de susto. tem um cachorrinho lindo que ajuda muito (sim, porque aqui em casa se depender da minha cadelinha nina eu tô no sal, ela é mais cagona que eu...) na versão de 1989 também tem, só que ele é menorzinho e branquinho...enfim, o filme surpeende por voltar (ou dar a impressão de voltar) às histórias de antigamente, traz do passado a história clássica de fantasma... sem aquele padrão atual de que o espírito não é fantasma é delírio, os mortos estão vivos e os vivos estão mortos, ou qualquer outra mirabolância que gostam de inventar...claro que não vou contar o fim, mas vale um alerta: é um filme britânico, com tudo a que tem direito, não é um filme americano...é um fim meio bobo, mas surpreendente (confesso que nem eu imaginei aquilo....). quer entrar no clima? lembra da "volta do parafuso"? que também é livro (do henry james) e fizeram uma versão em 2007 (ou 2008, não lembro), mas que antes ganhou uma versão em 1961, chamada "os inocentes"? lembra da musiquinha de abertura do filme? o willow waly ??? pois vai ouvindo e entra no clima...(aliás, depois escrevo mais sobre "os inocentes", que eu a-m-o) ...agora vou deitar, mas de luz acesa, e com os olhos grudados na janela...

2 comentários:

  1. Achei o filme ótimo!!! e como todo bom filme europeu... Não curti o final, mas faz parte do processo. Geralmente é o mesmo que sentir quando uma boa história acaba... vc sente aquela necessidade de continuar ouvindo seus sussurros. Parabéns a todos os envolvidos no longa A Mulher de Preto. Estava carente de um bom horror. ^^

    ResponderExcluir
  2. valeu o texto, vou assistir, já havia esquecido desses filmes!

    ResponderExcluir