Follow by Email

quinta-feira, 28 de junho de 2012

festa junina: adooooooro




eu amo uma festa junina. nasci em junho e desde de pequena adoro quando meu aniversário chega e aquele cheirinho de festa vem junto.
gosto das comidas, das bebidas, do climão caipira. dizem que a festa junina foi trazida pelos portugueses. a wikpédia explica que as fogueiras nas festas juninas, ou festas dos santos populares, eram uma tradição pagã pra celebrar o solstício de verão e com o tempo se transformaram em tradição nas festas de são joão batista (celebrado em vários países europeus). 
contam os católicos que para avisar maria, mãe de jesus, sobre o nascimento de são joão batista, isabel (prima de maria) teria acendido uma fogueira sobre um monte (era um pedido de ajuda, assim maria poderia ver o sinal e ir ajudar a prima). 
as festas juninas recebem também nome de festa de são joão. vem dai, do santo, já que a festa geralmente é no dia do nascimento dele. 
são pedro e santo antônio entram no bololô das festas uma vez que os dias dedicado a eles também são em junho. enfim, cada elemento da festa tem uma explicação: o balão era usado pelos portugueses para avisar o começo da festa , a quadrilha que começou lá na frança e foi importada pela elite e misturada ao folclore brasileiro. cada coisinha tem um porquê. a festa por exemplo era chamada inicialmente de joanina, por causa de são joão, mas virou junina porque é em junho, e julina porque é em julho. não vou explicar tudinho timtim por timtim. são muitas idiossincrasias e aqui não é o caso. vale lembrar que basicamente a gente se enfeita e decora os ambientes com um toque caipira, rural, simbolizando a simplicidade do brasil colonial. festa junina é chamada de arraial (arraiá), também vira quermesse. cada um com seu cada qual. 
mas o importante mesmo é que em todas as comidinhas e bebidas são mais ou menos as mesmas e eu adoro a comida típica de são joão: bolo, arroz doce, pinhão, canjica, milho cozido. coisas que relembram as cidades do interior, o rústico. a total falta de sofisticação fazem das festas juninas as melhores. lembro quando era criança lá em arroio grande e todo ano tinha festa junina e uma fogueira enorme. uma festa específica marcou época, foi na aabb da cidade. foi também a primeira filmagem externa que meu pai fez. nós tivemos o primeiro vídeocassete da cidade - cidade grande, né? - e pra filmar não era como agora, que as câmeras não pesam nada. você tinha que carregar um trambolho pendurado e mais uma parte do vídeo. era uma coisa horrorosa...
ficou tudo registrado. teve casamento caipira, a noiva grávida, que vinha a ser o padrinho do meu irmão, tinha o noivo tentando fugir, tinha o pai da noiva com espingarda. um roteiro completo! lá não tínhamos a tradição da quadrilha. eu na verdade só fui conhecer quadrilha aqui em brasília. nunca fui muito fã da dança, mas já me diverti muito em vários ensaios e apresentações. 
sempre trabalhei em festa junina, no colégio, na igreja. já fui a rainha da pipoca váááárias vezes. as minhas barraquinhas sempre eram da pipoca...hoje em dia só de sentir um cheirinho de pipoca já me dá um aconchego no coração. eu gosto tanto de festa junina que uma vez fiz uma festa junina in door. já viu festa junina em apartamento? poizé. eu fiz. só não levei o projeto da fogueira adiante por motivos óbvios, né?
música de festa junina sempre foi uma incógnita pra mim. "são joão, acende a fogueira no meu coração". o quê? o cara é piromaníaco? "cai cai balão...aqui na minha mão, não cai não, não cai não, cai na rua do sabão". cai ou não cai? se cair na mão, queima porra."capelinha de melão é de são joão, é de cravo, é de rosa é de manjericão". oi?
e o quentão? huuummmm as alegrias e delícias do quentão. é um gole e já sobe aquele quente, as bochechas ficam pegando fogo, e dá um brilho, né? dá um pá.
e as pessoas? parece que nas festas juninas todos ficam mais aconchegados, por estar frio parece que todo mundo fica mais pertinho, mais entrosado. e claro, todo mundo fica mais bonito, roupa de frio é sempre mais elegante. uma bota, um chapéu, tudo isso tem seu valor.
e é fato: em festa junina todo mundo tá sorrindo. não existe cara fechada em festa de são joão. até porque com tanto pé de moleque, bolo, canjica, não tem como ficar emburrado. a gente ri nem que seja do ridículo alheio, ri nem que seja daquele seu amigo que jura que caipira é desdentado e pinta o dente de preto. pra mim é assim, em festa de são joão não vale ficar triste...ê "sãojão", anarriê!!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário