Follow by Email

quinta-feira, 9 de maio de 2013

desabafo contra funcionário da MultiPark do Parque Cidade Corporade




ontem aconteceu uma coisa comigo que até agora eu não to acreditando. foi tão surreal, mas tão surreal que parece conto de literatura fantástica. mas nem nas minhas mais caprichadas histórias eu pensei ser possível uma coisa dessas.
todo mundo sabe que estacionamento em brasília está pela hora da morte. literalmente. quem não é assaltado pelos flanelinhas que privatizaram as vagas no centro da cidade, corre o risco de ser assaltado pelos vagabundos que rondam os estacionamentos públicos. fora sequestro relâmpago, arranhões no carro a incansável busca de vagas que não existem.
para conseguir chegar no horário no meu trabalho no setor de rádio eu resolvi pagar um estacionamento particular no edifício parque cidade. é administrado pela multipark. custa r$200,00 por mês. não é barato, mas me garante a vaga e a segurança.
acontece que por algum motivo que ainda não descobri, não fiz o pagamento desse mês. o vencimento foi dia 5, sábado. ontem, na hora que cheguei meu cartão de mensalista não autorizou minha entrada. “ah merda, deve ter dado problema no pagamento”, pensei. peguei um tíquete de entrada e fui trabalhar. ainda falei comigo mesma: “ah é uma bobagem, depois de pagar é só anular o tíquete avulso. sem problemas”.
como eu nunca fico devendo nada pra ninguém quis logo resolver a pendência. peguei o tíquete do dia e fui falar com a administração. é uma salinha pequena ali mesmo no subsolo do prédio.
havia um rapaz atrás de um computador. expliquei a ele que tive problemas com o cartão e se dava pra ele anular meu tíquete de saída.
– sim, sem problemas. 
– obrigada. deve ter tido algum problema no banco, comentei, mas já pago ali no caixa e fica tudo certo.
– a senhora vai ter que pagar pelo boleto bancário na agência do santander. aqui a gente não recebe a mensalidade, explicou o rapazinho.
– ah é? mas eu estou apenas a dois passos do caixa. qual o problema de receber a mensalidade? vou pagar com cartão. falei educadamente até bem simpática.
– senhora, não recebemos.
– hum, eu não tenho conta no santander, não tem como fazer pela internet. mas, será que então não dá pra emitir outro boleto com data diferente, ou autoriza eu pagar esse ai com atraso no banco do brasil e joga os juros para o próximo mês? o que eu não quero é ter que ir a um banco...faço sempre tudo pela internet.
o rapaz chamou então o que se intitula “seu superior”. ao lado da salinha tem uma porta e veio lá de dentro alguém que deve ser o gerente, ou apenas o chefe do rapazinho. não sei, porque não se identificou.
expliquei minha situação e a resposta foi a mesma.
– está bem então. continuei simpática. vou ali no banco pagar. qual é o andar aqui no prédio? perguntei.
– ah não, santander não tem aqui. tem ali no setor comercial, tem na 503 sul....
– perai, você quer que eu vá até o setor comercial sul, procure vaga, entre numa fila, pra pagar esse boleto? e não tenho outra opção?
– é sim. 
– ah moço, custa me dar outro com outra data? eu pago os juros nessa ou na próxima fatura, é só escolher. 
– não, não posso. você vai ter que ir sim.
– e aqui no caixa, tá pertinho, pago com cartão, rapidinho?
– não pode. por questão de segurança
– segurança? eu vou pagar com cartão de débito, super seguro.
– você vai ter que pagar o boleto. 
em nenhum momento o tal gerente me chamou de senhora ou de dona. sempre de você. eu então falei ainda simpática:
– faz um favor pra mim então, suspende esse meu contrato. cancela o cartão e faz outro contrato e outro cartão. me dá um cartão novo com uma nova data de vencimento. ai evita eu ter problema. eu fico pagando com o tíquete do dia até o cartão novo ficar pronto. o que não quero é ter a mão de obra de procurar um banco santander. 
ai que vem minha indignação o cara simplesmente virou para mim e disse:
– ah que gracinha...então eu vou ter que resolver o seu problema?
como é que é? como assim gracinha? meu filho, não te dei liberdade pra falar comigo assim não. pensei, mas não disse. apenas argumentei:
– é uma solução. e sim, pensei que você estivesse aqui pra resolver meu problema, ou pelo menos poderia ter um mínimo de boa vontade pra tentar resolver problemas.
– se eu for resolver o problema de todo mundo que vem aqui...
como é que é? ele não tá lá pra isso?????
o outro rapaz me deu a ficha para fazer um novo contrato. ai o gerente, ou chefe, ou sei lá quem ele é, disse:
– nem adianta responder essa ficha porque não vou fazer novo contrato PRA VOCÊ (ênfase no pra você). nem adianta você tentar. 
– como é? se eu quiser suspender um contrato para fazer outro você não faz?
– não, nem adianta escrever nada ai.
– e se eu simplesmente não pagar e resolver fazer novo contrato semana que vem?
– não adianta, não vou fazer novo contrato com você.
– eu pensei que você estivesse aqui para resolver os problemas com os clientes. estou vendo que você não faz questão nenhuma de ter os clientes , não é?
– é. se você quiser procurar outro estacionamento pode ir. tem um aqui no pátio brasil...
detalhe, o pátio também é administrado por eles.
– então quer dizer que você não me quer como cliente da multipark? 
– é é isso. fulaninho, só deixa ela ficar com o cartão se pagar o boleto. 
virou as costas e foi embora. simplesmente assim. 
acredito que a conversa tenha sido mais longa, mas eu fiquei tão espantada com a atitude do funcionário que nem sei que argumentos mais usei. peguei minhas coisas e fui embora. pedi pro menino imprimir o boleto e fui embora. me sentindo humilhada e constrangida.
eu não piso em um banco nem pra pegar talão de cheques. faço tudo pelos caixas eletrônicos ou internet. ainda falei pro cara: a caixa econômica tem a opção das lotéricas, mas o santander não. o cara falou: manda alguém ir lá pra você. 
ai o problema nem é mais ir ou não ao banco, mas é a maneira como ele me tratou! eu acho assim, posso estar errada em tudo. é regra não receber ali no caixa? ok, vamos seguir as regras. não pode refazer contrato, não pode dar outra data, ok. é só explicar. eu não quero passar por cima de nada. a minha indignação é com o tratamento que recebi!!!
aquele cara achou que tava falando com a mãe dele. deve estar acostumado a destratar os outros em casa. 
e sabe o que é pior nisso tudo? depois de toda a discussão? tá, vou ao banco pagar o boleto, nunca me neguei a pagar, só queria facilitar minha vida corrida. o pior nisso é que vai ficar por isso mesmo. o tal gerentezinho vai continuar lá fazendo o que bem quer porque ninguém vai tomar atitude nenhuma. e a idiota aqui vai continuar usando o estacionamento porque não tem outra opção.
eu sou de um tempo em que era importante para a empresa ter clientes. fisgar um cliente era questão de sobrevivência. já vi que isso não funciona mais. a partir do momento que um gerente de estacionamento diz para o cliente que não faz questão dele, que eu posso ir para outro estacionamento, é porque está tudo invertido, não?
será que é porque a tal multipark tem monopólio na cidade? eles devem estar muito ricos, muito satisfeitos.
e a boba aqui já tinha feito uma propaganda ótima para o local. tenho muitos colegas na record que foram fazer contrato lá porque eu indiquei. se arrependimento matasse...
cada vez que penso que ele me deixou falando sozinha me sobe um quente na garganta. ele foi embora e fechou a porta. eu não acreditei! 
precisa ver a empáfia, o descaso, a descompostura, a grosseria do funcionário. meu deus, onde vamos parar? eu ainda falei pra ele: eu quero pagar, não to me negando a isso. vou pagar com cartão de débito. por que não tem como me ajudar? e ele só disse que eu teria que me virar, que ele não podia fazer nada e acrescentou:
– e nos próximos meses? você vai vir aqui de novo pra pagar no caixa de novo?
– não. nos próximos meses eu não sei o que vai acontecer, o que estou conversando é sobre este mês, este problema de hoje. não sei de amanhã. mas agora sabendo dessa regra, não se preocupe que não haverá problema nos próximos meses.
– quem me garante?
gente, ele me chamou de caloteira, mentirosa, e o que mais?
como eu disse, posso estar absolutamente errada em pedir para ele me ajudar, mas ele não poderia ter agido como agiu!
só tem uma coisa: o artigo 71 do código do consumidor é bem claro quando diz que “é crime usar ameaça, coação, CONSTRANGIMENTO físico ou moral, fazer afirmações falsas para amedrontar o consumidor”...o caso pode ser registrado como crime, na polícia. não quero chegar a esse ponto. queria apenas que os donos da multipark ficassem sabendo do tipo de funcionário que eles têm por lá e que repensem a importância que dão ao cliente numa época de disputa tão acirrada de mercado. 
mesmo que eu esteja completamente errada, mesmo que não tenha direito a nada. eu não poderia ter sido tratada da maneira como fui tratada.
enfim, depois de ouvir que meu problema é muito “gracinha”, que ele não podia resolver meu caso e depois de ter ido embora e me deixado no vácuo, tô imaginando que ele vai colar fotos minha pelo prédio tipo: proibida entrada da gracinha. vamos torcer para que não, né? 

p. s - não fui ao banco. até agora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário