Follow by Email

terça-feira, 24 de abril de 2012

meia-noite em paris...um filme e um rinoceronte



vi ontem, com atraso, MUITO ATRASO, o filme do woody allen "meia-noite em paris". atenção: contém spoilers....e devo dizer que adorei...me identifiquei horrores com o personagem principal , o gil pender (interpretado por owen wilson)...vale nota: ele me surpreendeu...aqueles diálogos típicos do woddy allen , falando rapidinho, quase gaguejando, se atropelando...ele fez direitinho...me identifiquei porque diversas vezes também sinto aquela vontade de voltar ao passado...acho que épocas anteriores também foram mais românticas e mais mágicas...me pego com uma nostalgia, uma saudade do que nunca vivi....e como o pender, acabo me dando conta de que o que vale mesmo é o agora, desde que haja arte, lirismo, paixão, amor, loucura...e isso só depende da gente, não da época...acho que é mais ou menos por ai...mas deixando a filosofia de lado, voltemos ao filme...a paris que o allen mostrou - com maestria - é uma paris de parisienses, isso foi muito legal....não foi aquela coisa cartão-postal pra turista ver...mesmo quando os monumentos aparecem , fica aquela sensação de que a cidade é uma coisa de outro mundo....a luz , a atmosfera...o sentimento surreal...é aquela paris que eu quero conhecer...não a paris do metido do paul bates (amo o michael sheen, ele tá ótimo de turista chato pedante que só quer comer a noiva do outro)...me obrigo a fazer alguns questionamentos: tudo bem que o allen se apegou aos artistas da chamada "geração perdida", mas porraannnnn, custava mencionar o sartre, o flaubert e a simone de beauvoir? se eles apareceram , nem deu tempo de perceber...e se não apareceram, alguém me explica? são todos mais ou menos da mesma época, não?...falei bobagem? será que não eram da mesma panelinha??? confesso que boiei no comentário sobre a bailarina (quando ele tá morrendo de dançar e a família no presente dizendo que ele não dançava hahahaha)...quem era? não saquei...também senti falta de mostrarem a gala...seria curioso mostrar o casamento com o maluco do salvador dalí hahahhah. acho que a boa piada do filme foi o gil pender dando a dica pro buñuel sobre o anjo exterminador...a ideia é tão pirada que nem ele - buñuel- entendeu (eu particularmente achei o filme - o anjo...- um saco! que ninguém me ouça...assim como todos os filmes do godard e a tal nouvelle vague..que chatice...uns planos que nunca acabam, cenas que se arraaaaaastam...aliás o godard também não foi citado, ele era mais velho, né? dos filmes do godard gosto só do je vous saue marie...e olhe lá! aliás, devo dizer que dessa época , pra mim, só o truffaut tem umas coisas que eu gosto - ele também não aparece no filme....- como  jules et jim - meu pai odeia - e a história de adèle h. ...gostei tanto desse , que por muito tempo eu queria colocar o nome da minha filha, se algum dia viesse a tê-la, de adèle...ainda bem que desisti...não tive a filha ainda, que por sinal vai se chamar maria eduarda, quando vier... e agora tem aquela cantora gorda chata pra caralho com o nome de adèle, né?) ...enfim, voltado ao woody allen e ao meia-noite em paris, definitivamente é um filme que recomendo. estava com certa reserva em relação a ele...por isso fui adiando...como adiei melancolia...alguns filmes são assim, precisam ficar na estante, esperando...o woody allen tem umas ideias que me deixam reticente....tipo aquele filme do shopping, com a bete midler...puta filme chato...aliás, tem uma safra dele que não consigo gostar, como o hanna e suas irmãs e aquele do sexo...bom, mas falar dos filmes de wood allen exigiria um post gigantesco...fica pra próxima...ah, e as músicas do filme? aaaahhhhh as músicas....é de começar a ouvir e se perder por ai...bah...as cores, a música, tudo tudo é lindo...acho que vou sonhar com uma volta ao passado. batata.agora vou lá comer meu croissant porque a hora urge. boa noite. encerro com uma frase maravilhosa do filme, concluída por salvador dalí, interpretado pelo adrien brody, que resume tudo: "um homem apaixonado por uma mulher.  de uma época diferente. vejo uma fotografia. vejo um filme. vejo um problema insuperável. eu vejo... um rinoceronte."

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário